Mercado de motos pede ajuda ao governo

Mercado de motos pede ajuda ao governoAs coisas não andam boas para o setor das duas rodas. Após contínuas tentativas realizadas pelas fabricantes para aumentar as vendas, os números de emplacamentos continuam a cair mês após mês. Só este ano, o mercado de motos registrou uma queda de 7,6%, em relação ao mesmo período de 2011. Com o objetivo de reverter o quadro, a indústria recorreu ao governo, sem sucesso, e solicitou o corte da alíquota de Cofins, que atualmente é de 3%.

Para Alarico Assumpção Júnior, presidente executivo da Fenabrave, órgão das concessionárias de veículos e que está acompanhando as discussões, acha que será difícil o governo ceder os Confins, como fez em 2010. Pois, recentemente com os impostos cortados para estimular o setor automotivo, o governo abriu mão de R$2,1 bilhões.

Segundo Alarico, as partes estão focando em alternativas para o cenário mais restritivo nas liberações de crédito, que é o foco principal da indústria das duas rodas. De acordo com Flávio Meneghetti, presidente da Fenabrave, o segmento de motos ainda sofre com a reprovação de crédito. A taxa de aprovação ainda é muito baixa, está em torno de 17%.

Números:

No primeiro semestre de 2012 foram registrados 848,6 mil emplacamentos, enquanto em 2011, no mesmo período, 918,2 mil motos foram emplacadas.

Siga @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse: Fisgo.com.br.

Fonte: Best Riders

Siga o @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse: Fisgo.com.br.

Este artigo foi publicado em Mercado de motos, Motos e marcado , , , , , , , , . Adicione em seus bookmarks o link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>