Governo brasileiro aumenta IPI dos automóveis importados

Governo brasileiro aumenta IPI dos automóveis importadosEnquanto as novidades estão sendo apresentadas no Salão de Frankfurt na Alemanha, aqui no Brasil as notícias não são muito boas para as marcas automotivas internacionais. Na última sexta-feira (16), foi publicado no Diário Oficial, uma Medida Provisória sobre os Produtos Industrializados (IPI) do setor automotivo, que consiste no aumento da taxa sobre os carros importados.

A medida consiste no seguinte: o IPI dos automóveis internacionais foi aumentado em 30 pontos percentuais, para até 55%. De acordo com o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, a ação adotada pode gerar um aumento de até 28% no preço final dos carros. Segundo o governo, as empresas deverão comprovar em 30 dias, que se encaixam dentro de alguns critérios, entre eles provar que menos de 65% das peças dos veículos foram produzidas no Brasil e no Mercosul. Senão estarão sujeitas ao novo imposto.

Ao analisarmos o fato, é perceptível que a ação do governo foi a maneira encontrada para incentivar a produção nacional e tentar frear o avanço das marcas importadas, como as da Ásia (Kia, JAC, Chery), que já apresentam grande participação nos lucros do mercado automotivo brasileiro. Outro objetivo plausível constatado é o de beneficiar as empresas que atuam há mais tempo no país, no caso a Volkswagen, Fiat, General Motors e a Ford.

Siga @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse: Fisgo.com.br.

Fontes:Terra; Diário Popular

Siga o @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse: Fisgo.com.br.

Este artigo foi publicado em Carros, Mercado de carros e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Adicione em seus bookmarks o link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>