Seguro imobiliário uma proteção indispensável

Seguro imobiliário se torna uma boa opção em tempos de tempestades e queda de raios.

Com o passar dos anos, as chuvas e raios que visitam nosso país ganham mais força, e como consequência os alagamentos e destruição passam a fazer parte da nossa rotina. Segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) a cada ano cai no Brasil cerca de 60 milhões de raios o que gera 130 mortes além de causar um prejuízo de aproximadamente um bilhão ao país.

O seguro residencial é uma ótima opção para amenizar os problemas causados por esses fenômenos. Porém, é bom ficar atento a sua apólice pois algumas regras variam de acordo com cada segurado. O especialista em seguros Nilton Dias explica e dá algumas dicas.

Quanto à queda de raios, a maioria das empresas cobrem os prejuízos somente se o raio atingir o endereço segurado. Se caso o raio cair em alguma residência vizinha e causar alguma conequência na sua casa o reembolso não será feito. Se a sua seguradora segue este padrão a melhor opção é contratar um seguro de danos elétricos que além de cobrir o dano causado pelo raio que atingiu o vizinho ele cobre qualquer tipo de descarga elétrica que tenha danificado seu imóvel.

Os seguros contra alagamento também estão em alta, mais cuidado, pois se o seu imóvel fica próximo a áreas reconhecidas como de risco, as seguradoras podem se negar a fazer a apólice.

Uma rua próxima a um córrego que alaga em toda chuva forte, por exemplo, é um local no qual as seguradoras não fazem a cobertura. Isso porque ela sabe que teria que pagar 100% de indenização em cada enchente. Mesmo que a seguradora cobre do segurado 10% ou 20% a mais, não cobriria o seu prejuízo“.  Ressalta Nilton Dias.

Para o reembolso no caso de algum acidente, e o próprio estiver com a cobertura prevista na apólice, a primeira coisa a fazer é reunior os bens que já foram afetados assim você diminui os riscos do problema não se agravar. O segundo passo a fazer é comunicar a empresa responsável pela cobertura de seu imóvel através da abertura do sinistro e para finalizar, reunir documentos como fotografias que comprovem o prejuízo causado.

Siga @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse Fisgo.com.br.

Fontes: O Jornal Web; Bbel.uol

Siga o @fisgo no Twitter e fique por dentro de todas as notícias do site ou acesse: Fisgo.com.br.

Este artigo foi publicado em Imóveis e marcado , , , , . Adicione em seus bookmarks o link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>